L011

 

AGORA E NA HORA DA NOSSA MORTE

1998 - Assírio & Alvim 

 

E tudo se resumiu à evidência do pó.

Uma lenda, um ofício, uma teia de

apertadas mágoas que nunca mais

deixará passar a luz.

A tua luz, sol, lua ou juvenil chama dos

campos livres,

apagou-se violentamente.

Nos aquários da noite caiu uma estrela.

O mundo caiu sobre os teus ombros.


 

Voltar1